30
Jul 10

“What I feel”

 

A verdade é que fiquei irritada ao saberdo telefonema do Nathan e da Jennette. Quer dizer não é normal isso acontecer. De onde surgiu tanta preocupação? Eles falam, mas só na escola. Nunca soube de nenhum telefonema entre eles. Quer dizer, o que eu sinto, é que estou com ciúmes sem motivo. Mas aquilo realmente não foi normal. Ele não pensou no que eu senti. No que eu sinto. E ainda me conta aquilo como se fosse a coisa mais normal do mundo.

O que interessa é que fiquei o resto do dia a pensar naquele maldito telefonema, e sobre o que eles devem ter falado. Estava distraída e não pensava em mais nada.

Então decidi ligar ao Nathan. Chamou, chamou, mas ninguém atendeu.

Passados dois minutos ele ligou-me de volta. Estava furiosa e nem sei bem porquê. Só depois do que lhe disse ao telemóvel me apercebi porque estava cheia de raiva.

Inicio da chamada:

-Olá, desculpa não ter atendido mas estava a …

-Oh, deixa lá. O que interessa?! Devias estar a ligar à Jennette.

Fim da chamada.

Eu desliguei. Eu não acredito. Eu desliguei o telefone. Sem saber porque é que ele não tinha atendido. Eu parecia desesperada. Ele tentou-me ligar nos minutos seguintes mas não atendi. Estava cheia de vergonha e cheia de raiva.

Passados uns dez minutos o meu pai chamou-me:

-Miranda, tens uma visita!

Pensei na Jennette. Não queria vê-la. Mas a culpa nem sequer é dela. Quer dizer, quem lhe ligou foi o Nathan.

Dirigi-me à sala e quando cheguei lá estava o Nathan à porta, o meu pai também à porta e a minha mãe e a Kim no sofá. Aquilo mais parecia um momento familiar. Corei. Então avancei até ao Nathan e empurrei-o para fora de casa. Disse-lhe para esperar um bocadinho.

-Não nos podiam ter dado alguma privacidade?! – protestei a olhar para o meu pai.

-Desculpa. – lamentou a minha mãe.

-Não faz mal.

Saí e fui ter com o Nathan.

-O que é que tu queres? – fui agressiva.

-Quero saber o que se passa. O que foi aquilo à bocado?

-Oh, não ligues. Eu sou parva.

-Não és nada. Eu teria feito a mesma coisa.

-Ai sim?! Fico mais descansada.

Até porque um rapaz que vem a minha casa e enfrenta o meu pai é porque gosta mesmo de mim.

-Ainda bem. – Beijou-me – não posso ficar muito tempo. A minha mãe está à minha espera.

-Claro! – Abracei-o e beijei-o – vemo-nos amanhã.

-Eu ligo-te e combinamos qualquer coisa. – disse ele já no meio da rua.

-Ok, até amanhã.

-Até amanhã.

Fiquei um longo tempo a vê-lo ir embora. Ele olhava para trás de vez em quando e passado algum tempo deixei de o ver.

Entrei em casa e fui para o meu quarto. Já estava mais descansada. Então decidi ligar à Jennette. Até porque a minha melhor amiga estava num momento mau da sua vida e eu nem estava importada.

Falei com ela. Ela disse que estava tudo bem. Disse-lhe que combinávamos qualquer coisa depois porque amanhã não podia porque ia sair com o Nathan. Desliguei o telemóvel e fui dormir.

 

Espero que tenham gostado.

Tive muitos comentários recentemente e agradeço muito por isso. Muito obrigada. Nunca pensei em ter tantos comentários só com dois capítulos. Muito obrigada mesmo. Fico muito contente por saber que vocês gostam! :)

By ficsaboutstars às 21:08
I'm feeling...: Happy :)
Music :) : Liberty Walk - Miley Cyrus <3

“I fell in love”

 

 

É de manhã e eu estou a tomar o pequeno-almoço com o diabo em pessoa Kim.

-Já ouvi falar do teu beijo com o teu novo namoradinho…

Parece que já toda a gente sabe. E toda a gente podia saber menos a cínica da Kim.

-Como é que tu sabes? – Perguntei-lhe e tentei manter a calma.

-Não interessa… Mas se queres mesmo saber ouvi o pai a contar à mãe.

-E tens algum problema com isso?

-Não por acaso até nem tenho…

-Então para que é que vieste com essa conversa.

-Para te irritar e para ir eu primeiro para a televisão. É que enquanto falas e pensas eu como…

-Eu também não queria ir para a televisão!

Na verdade queria. Mas não a podia deixar ganhar. Ai que chata que ela é. Agora o que é que vou fazer? Ah! Já sei, vou ligar ao Nathan.

Inicio da chamada:

-Olá

-Olá, tudo bem? – respondeu.

-Sim e contigo?

-Também.

-Já falaste com a tua mãe?

-Não, mas ia falar agora. Ela acabou de acordar.

-Ah! Ok. Então desculpa. Eu posso ligar mais tarde.

-Não podes nada. Não quero que desligues.

-Mas eu tenho que ir! – o meu pai estava a chamar-me.

-Falámos depois no parque ok?

-Ok. Até logo.

Fim da chamada.

A doçura da sua voz deixava-me encantada. Mesmo ao telefone. Eu sabia, não, eu tinha a certeza de que estava mesmo apaixonada. Só queria estar com ele, só queria falar com ele. E por vezes os telefonemas não eram suficientes. Senti a falta dele a cada minuto. É verdade, sim é verdade, pela primeira vez na vida eu apaixonei-me. Eu apaixonei-me!

 

Após o almoço dirigi-me ao parque. Quando cheguei lá já o Nathan estava sentado no banco. Decidi fazer-lhe uma surpresa. Fui por trás dele e agarrei-o e dei-lhe um beijo. Ele sorriu e sentámo-nos os dois a falar.

-Então o que disse a tua mãe?

-Bem, ela acha que fez bem em ter contado ao teu pai.

-Pois, sabias que a Kim já sabe de tudo?! É que o diabo gosta de ouvir atrás das portas e ouvi o meu pai a contar à minha mãe!

-A sério?! Que chata.

-Sim, eu sei.

-Eu liguei à Jennette e…

-Tu ligas-te à Jennette?

O quê?! O meu namorado ligou à minha melhor amiga?!

-Sim, para saber se ela precisava de ajuda ou assim.

-Ah! Está bem.

-Ela disse que não e que estava tudo bem. A mãe dela sai do hospital hoje e depois ela já pode ir à vida dela.

-Ainda bem… Talvez possa ir jantar a minha casa um dia destes.

-Pois.

Fiquei sem saber o que dizer então decidi perguntar-lhe o seguinte:

-Mas o que é que te deu para lhe ligares? É que foi assim do nada…

-Sei lá. Imagina que ela precisava de ajuda…

-Ah, está bem.

Fomos dar um passeio pelo parque enquanto falávamos. Falamos sobre coisas que não interessam a ninguém e quando demos pelas horas eram seis horas. Então fomos os dois para casa.

 

Peço desculpa por ser tão pequeno e tão fraco. Também peço desculpa por postar tão rápido, mas é que já comecei a escrever uma nova fic e gosto mais do que desta. Mas como já acabei os capitulos desta vou postar!   :)

By ficsaboutstars às 16:36
I'm feeling...: Happy :)
Music :) : About you now :)

Olá, estou aqui para divulgar um blog de uma grande artista. A escritora do blogue é fantástica também e muito simpática :)

Comentem e divulguem!

 

http://emmawatsonportugal.blogs.sapo.pt

 

Ela tem também outros blogues que eu costumo visitar:

 

http://icecream-contest.blogs.sapo.pt

http://leightonmeester-portugal.blogs.sapo.pt

http://popcorn-cupcakes.blogs.sapo.pt

 

Visita! :D

Parabéns Inês, pelos teus blogues. São muito bons!

 

 

Ah, não se esqueçam que posso divulgar mais blogues, é só pedir! :D

 

 


29
Jul 10

Olá. Esta é a minha primeira fic. Chama-se "Because of you". Decidi começar com uma fic pequena com apenas 8 capítulos para ver se vocês gostam da minha maneira de escrever e das minhas historias :) Eu tenho várias fics escritas, a maior parte com a Miley Cyrus e os Jonas. Mas a minha primeira vai ser com umas personagens que nao costumam aparecer nas fics que eu leio. E eu leio muitas :) As personagens são a Miranda Cosgrove, o Nathan Kress e a Jennette MCcurdy. As estrelas do iCarly. Depois desta vou começar a postar com as outras personagens (Niley, Jemi, ...) Sobre o visual do blog, vou encomendar um cabeçalho. :)

Aqui vai o primeiro capítulo Stay ok!

 

 

1º Capítulo: “Let me understand!”

Miranda on:

Estou tão cansada da minha vida. Da minha miserável vida. Agora que estou de férias parece que trabalho mais do que quando estou na escola. “Miranda arruma isto”; “Miranda arruma aquilo”. Os meus pais conseguem ser chatos quando querem. O que vale é que a Jennette vem para cá de vez em quanto e assim dá para escapar tanto de casa como do trabalho.

Neste momento estou a aspirar a casa. O que vale é que ela é pequena. O que dá mais trabalho é a sala, especialmente quando a minha irmã mais nova Kim não sai da sala por nada.

-Kim faz-me um favor e desaparece da sala! – talvez se o disser num tom agressivo ela desapareça.

-Achas mesmo? Eu até gosto de te ver a aspirar enquanto vejo desenhos animados. A minha tarde de Verão torna-se ainda melhor.

-Se tu não desapareces eu mato-te à pancada! – claro que estou a brincar, mas a miúda irrita-me e às vezes digo coisas tipo esta sem querer.

-Não tens coragem!

-Pois não… - okay, não costumo fazer isto mas desta vez teve mesmo que ser – Eu dou-te um euro se tirares os pés da carpete e desapareceres!

-Claro que sim, afinal és minha irmã.

Fiz uma cara cínica e a miúda desapareceu. Ela que não pense que lhe vou dar um euro. Era o que mais me faltava. Quando estava muito descansadinha a limpar tocaram à campainha. Fui abrir e era o Nathan, da minha turma.

-Nathan, olá. – exclamei surpreendida – não esperava ver-te aqui…

-Pois… Eu só te vinha convidar para o meu aniversário que é hoje à noite.

-E só avisas agora?! ­– okay, se ele quer ter convidados é melhor apressar-se antes que as pessoas combinem outras coisas, mas explicar-lhe isso dá muito trabalho por isso limito-me a estar calada.

-Bem, eu já avisei as outras pessoas. Só não te consegui avisar a ti. Fartei-me de te ligar mas nunca me atendias por isso decidi vir cá…

-Ah! Pois! O meu telemóvel está avariado. Desculpa!

-Não faz mal… Mas então vens?

-Claro. Porque não?! – festa, quem não quer ir a uma festa.

-Ainda bem! És às oito horas em minha casa. É um jantar. Vamos comer pizza.

-Boa! Adoro pizza. Quem vai à festa?

-Vai gente da nossa turma. Tu, a Jennette, o Cody, … e essa gente.

-Oh, não fiques aí especado à porta. Podes entrar. Desculpa a desarrumação, estive a aspirar.

-Obrigada. Oh! Não há problema!

-Queres beber alguma coisa?

-Pode ser…

-Bem, só tenho sumo de laranja… Gostas?

-Sim, obrigada.

Quem não gosta de sumo de laranja?! Que pergunta idiota!

-Vou buscar… Podes-te sentar…

Nathan on:

Ela até tem uma casa bonita! Mas bonita é ela! Estava entretido no meu pensamento sobre a beleza da Miranda quando vem uma miúda pequena, que é possivelmente a Kim, irmã dela.

-Olá, eu sou a Kim como já deves saber!

Uau! Cheia de mania tal como a irmã!

-Sim, já sabia… Eu sou o Nathan. Muito prazer!

E aqui estou eu a ser simpático para uma pessoa que não merece.

-KIM! Sai já daqui!

Era a Miranda que já vinha com o copo de sumo.

-Ok! Não te esqueças que me deves dinheiro…

-Deves-lhe dinheiro? – perguntei-lhe.

-Sim, vou ter que lhe pagar porque ela saiu da sala quando estava a aspirar.

-Ah! Está bem! – não sabia o que dizer.

Ela não respondeu, limitámo-nos a beber o nosso sumo e a olhar um para o outro…

-Nathan, dou-te o teu presente amanhã ou assim. É que hoje não vou ter tempo para comprar…

-Não faz mal. Olha, podes-me dizer as horas?

-Claro, são seis e meia.

-Desculpa Miranda… - pus o copo em cima da mesa, levantei-me e disse – tenho que ir, já é tarde e ainda não preparei a festa!

-Ok, mas queres ajuda?

-Não obrigada… Quero apenas que vás… Até logo…

-Até logo!

Nathan off, Miranda on:

Estava a preparar-me para a festa quando o meu telemóvel toca. Era a Jennette a dizer que não podia ir à festa. Fiquei triste até porque na minha turma só sou amiga mesmo da Jennette e do Nathan. Ela não podia ir porque a mãe estava no hospital. Perguntei-lhe se precisava que fosse para lá para estar com ela mas ela disse para eu ir à festa e para me divertir e principalmente para dizer ao Nathan porque é que ela não pode ir. Despediu-se rapidamente e desligou o telemóvel sem me dar tempo para responder.

Já estava pronta. O meu pai trouxe-me a casa do Nathan e já lá estavam alguns amigos dele.

-Olá!

-Olá – respondi.

-Queres beber alguma coisa?

-Sim por favor… Pode ser uma coca-cola.

Ele preparou as bebidas e depois entregou-me um copo de coca-cola.

-Aqui tens.

-Obrigada. Olha, a Jennette não pode vir porque a mãe dela desmaiou no supermercado e está no hospital. E ela pediu-me para te dizer.

-Ah! Está bem… Mas ela não precisa de ajuda nem nada?

-Eu também lhe perguntei isso mas ela disse que não.

-Ok! É assim nós hoje vamos comer pizza e depois vamos ver um filme.

-Ok… Que filme?

-Avatar

-Ok! Já me disseram que esse filme é muito fixe!

-Pois, a mim também por isso é que o escolhi… Queres ir ao jardim?

-Pode ser… Está calor aqui!

-Pois… É por aqui…

Atravessamos a cozinha e os amigos dele que eu não conhecia e estávamos sozinhos no jardim o que me agradava mas também me desconfortava. Sentámo-nos num banco para dois e não falámos. Nenhum de nós foi capaz de dizer o que quer que fosse… Então ele decidiu acabar com o silêncio.

-Está uma noite bonita não está?

-Está mesmo…

-Mas não é só a noite que está bonita hoje…

Percebi que aquilo era para mim… Corei e comecei-me a rir. Ele também se riu. Depois ele aproximou-se de mim e demos um beijo na boca.

-Nathan! – era a mãe dele com alguns amigos que acabavam de chegar. Que vergonha!

-Sim mãe… Ah! Olá…

-Toma o teu presente… - disse um amigo dele que eu não conhecia de lado nenhum.

-Vai abrir lá dentro filho… Aliás, tudo lá para dentro!

A mãe dele está a olhar para mim com uma cara… Só quero desaparecer desta festa. Já nem quero comer pizza ou ver seja lá que filme for… Mas o Nathan é meu amigo ou mais do que isso e eu vou ficar…

-A pizza já chegou! – anunciou Nathan. – Podem sentar-se…

Começou tudo a comer e eu também mas calmamente. Não queria fazer a figura que os amigos e amigas do Nathan estavam a fazer. Uma rapariga deu-me um encontrão para ficar com uma fatia de pizza.

-Tenham calma… Não é preciso dar encontrões – a rapariga olhou para mim com uma cara de cínica e eu nem liguei.

Comi mais uma fatia e não comi mais. Não queria parecer uma leoa a devorar a presa.

-Hora do filme! – disse um dos amigos dele.

Típico. Comer e depois esticar-se no sofá…

Sentei-me num pufe e o Nathan sentou-se num pufe ao meu lado. O filme já tinha começado mas nenhum de nós estava atento. Eu olhava para ele e ele olhava para mim.

-Vem ter comigo ao jardim, um ou dois minutos depois de eu sair da sala. – sussurou e saiu.

Eu assim o fiz. Um minuto depois estava no jardim. Não via ninguém. Nem ouvia o que quer que fosse.

 

-Nathan?

-Estou aqui. – ele saiu detrás de uma árvore. Ele não estava propriamente feliz.

-Miranda, olha… -ele suspirou – sobre o beijo de à bocado…

-Sim…

-Bem, eu gosto de ti desde que te conheço. Já muita gente sabia e tinha percebido menos tu. Mas não sei se sentes o mesmo por mim… E neste momento também não me interessa.

Quer dizer beijámo-nos, ele gosta de mim, não sabe se eu gosto dele e não quer saber…

-Mas não te interessa? Quer dizer, gosto de ti e não te interessa. Beijas-me, dizes que gostas de mim e depois dizes que não te interessa… É assim, um bocadinho estranho.

Ele suspirou.

-Acredita que não é. Nem um bocadinho…

-O que se passa? Diz-me!

-Não posso, aliás, não quero…

-Vá lá Nathan. Não vou contar a ninguém.

-Ok… Como tu sabes há uma semana estive de férias na Florida. Lá conheci uma rapariga chamada Emma e apaixonei-me por ela.

-Espera não tinhas dito que gostavas de mim desde que nos conhecemos?

-E gosto, e naquela altura também gostava. Mas a Emma era diferente… Tal como tu…

Ok, já não estava a entender nada.

-E foi isso…

Eu suspirei e disse:

-Nathan, sei muito bem que não foi só isso…

-Pois não, mas tu não vais entender…

-Deixa-me entender!

-Então nós começamos a namorar… Após três dias de namoro cominámos encontrar-nos no bar do hotel e quando lá cheguei ela estava a trair-me com outro. Aquilo arruinou-me as férias e como ela estava no mesmo hotel que eu, víamo-nos muitas vezes e eu sentia-ma tão mal, tão fraco, tão humilhado.

-Eu compreendo… Mas comigo isso não vai acontecer… Eu prometo!

-Não sei Miranda, não quero passar por isso outra vez.

-Nathan, eu estou a prometer… E eu cumpro as minhas promessas… Eu gosto de ti e tu de mim…

-Por isso mesmo Miranda… Gosto de ti! E também gostava da Emma e olha no que deu…

-Comigo é diferente, eu sou diferente…

Fui interrompida por um beijo.

-Isso significa que nós…

-Sim, nós namoramos…

Voltamos para a sala. Sentei-me no meu pufe e ele no dele. Como estava escuro e estava toda a gente atenta ao filme e a mãe dele estava a arrumar os copos e os restos da pizza decidi dar-lhe a mão… Ele sorriu-me e eu sorri-lhe.

Depois do filme o meu pai veio-me buscar. Entrei no carro sem tempo de me despedir do Nathan então enviei-lhe um sms a pedir desculpa. No carro o meu pai veio com uma conversa estranha…

-Soube que beijaste o Nathan hoje…

-O quê?! Como é que sabes? E não estou a dizer que é verdade…

-Eu sei que é verdade, a mãe dele contou-me.

Como eu odeio aquela mulher.

-Ah… Bem, sim é verdade. Eu gosto dele e ele de mim e …

-Miranda, tens idade para pintar as unhas e veres televisão, não tens idades para andares para aí aos beijos…

-Pai por favor…

Felizmente, chegámos a casa. Despedi-me de toda a gente e fui para o meu quarto. Liguei ao Nathan a contar o que a mãe dele tinha feito. Ele ficou furioso com ela. Depois de ele ter um ataque de fúria combinámos encontrar-nos no parque amanhã. Agora vou dormir, estou muito cansada.

 

Este é um bocadinho grande, e é um dos únicos grandes.

Espero que tenham gostado.

Stay ok!

 

Ah, já agora, comentem por favor.

Beijos.

By ficsaboutstars às 15:18
I'm feeling...: Anciosa por ver os comentários
Music :) : Parnoid

Olá! Sejam todos bem-vindos ao meu primeiro blogue. Neste blogue vou escrever fics criadas por mim. Só vos peçam que comentem para eu saber a vossa opinião acerca das minhas histórias. Obrigada!
By ficsaboutstars às 15:11

By ficsaboutstars às 15:08

arquivos
2010

Make it designs
Always Fashion and Pretty
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO